terça-feira, 28 de setembro de 2010

Mentira

E do real, virou virtual.
E do virtual virou real.
Até onde existe a ponte?
E se a ponte não existe, até aonde a gente vai?
Vem, que eu te levo junto para outro lado da história.

Não precisa entender.
É exatamente isso que quase ninguém entende.
A não ser eu e você.

Lembra da parede?
Ela também nunca existiu.

Se isso explica alguma coisa?
Claro que sim.
É só lembrar das palmas.
E do jazz.

5 comentários:

Anônimo disse...

CADA DIA MELHOR, NÉ? AMOTE MARICOTA!

Zoroastra disse...

e ja dizia a jonaya:
estar em queda livre,
com os pés no chão.

Mari disse...

será?

Sedentário disse...

Poesia bela, inteligente, com uma dose de sabedoria modernista. Encantado abraços!

Mari disse...

Olá, valeu pelo elogio! Apareça sempre! beijos