sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Tá afim de ver um pôr do sol hoje?

Já viu um show dela?


Aproveite, é o último show do ano da Marina de la Riva.


Data: 14/12
Local: Ao Vivo Music Groove
Endereço: Rua Inhambu, n 229 - Moema
Horário: 22h30
Informações: 11 5052.0072 http://www.aovivomusic.com.br


quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Quarto das Cinzas grava programa do Jô

O Quarto das Cinzas participou do programa Jô Soares da Rede Globo nessa segunda-feira. O programa vai ao ar na sexta-feira, dia 14 às 23h30. O Quarto das Cinzas é uma banda cearense que une música eletrônica, brasileira, experimental, rock, poesia, artes plásticas e dança. Formado por músicos de diferentes visões e influências, o trio tem à frente a cantora e atriz Laya Lopes, Carlos Eduardo Gadelha que além da guitarra cuida das programações eletrônicas e o baixista Raphael Haluli.

O trio se mudou para São Paulo no começo deste ano e lançou um EP intitulado A Chave - uma produção independente com cinco faixas. A banda está na estrada desde 2003 quando gravou suas próprias canções em um estúdio caseiro. A partir daí, O Quarto das Cinzas vem se destacando no cenário brasileiro de bandas independentes por sua música inovadora e seus shows performáticos que somam à música outras linguagens artísticas como a dança, a poesia, projeções ou objetos cênicos. No ano que vem o trio se prepara para lançar um CD e fazer uma turnê nos Estados Unidos.

Mais? www.myspace.com/oquartodascinzas

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Quando


Quando meus amigos somem....

quando o sol vai embora, as nuvens pretas se aproximam e cai o mundo...

quando seu time é rebaixado...

quando vc limpa seu nariz e sai sangue...

quando vc berra e o mundo nao está nem ai....

quando vc sai do carro bebada, falando torto e coloca seu pezinho com sua sandália naquela água porca do esgoto...

quando vc se vê e consegue reparar que está sempre trancada dentro de um escritorio e o mundo lá fora vivendo...

quando vc adimira a ciência, mas não acredita que ainda nao inventaram o teletransporte...

quando vc vê, só se passaram 5 minutos.

Que venha o natal e o ano novo logo!

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Um pouco de paz

Essa era a vista da varada de casa

Temporal PE traz o melhor de Pernambuco para São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte

O festival reúne artistas novos e já consagrados e traz o melhor da música contemporânea de Pernambuco

O tempo vai virar em dezembro; o festival Temporal PE reúne, em quatro apresentações, artistas pernambucanos que tem em seu trabalho fortes elementos tradicionais desse estado combinados com outras influências. Essa tendência, que explodiu com o movimento manguebeat, criou uma nova linguagem na música feita por lá. A geração, que bebeu na fonte do maracatu, da ciranda e do frevo, vem chamando atenção pelo ritmo forte e a diversidade de informações sem preconceitos, criando uma nova música popular brasileira.

Para temperar esse caldo artístico, às apresentações somam-se imagens repletas de referências às paisagens e à cultura pernambucana, através de resgates e releituras de fotos e filmes antigos mesclados a interferências visuais atuais; e, na abertura, será exibido o premiado curta-metragem O Mundo é Uma Cabeça, de Bidu Queiroz e Cláudio Barroso, que mostra Chico Science circulando pelas ruas de Recife em 1996, cantando e contando histórias sobre a cidade e sua já efervescente cena cultural, além de depoimentos de seus principais expoentes.

SÃO PAULO
No dia 7 de dezembro, Junio Barreto e Mombojó sobem, junto com convidados, ao palco do Sesc Pompéia. Radicado em São Paulo, o caruaruense Junio Barreto tem composições gravadas por Roberta Sá e Gal Costa; em seu repertório predomina o samba, com um certo clima de terreiro e nuanças eletrônicas. Já o grupo Mombojó aposta na psicodelia lírica e sofisticação dos timbres e loops para elaborar seu som. A banda tem dois discos lançados, que foram aclamados pela imprensa especializada; participou dos principais festivais nacionais, e foi eleita pela Associação Paulista de Críticos de Arte de São Paulo a Melhor Banda de 2004 e 2006.

No dia 8 é a vez de Lúcio Maia (guitarrista da Nação Zumbi) e o compositor e cantor Ortinho se apresentarem. Lúcio apresenta o projeto Maquinado, resultado de dois anos de composições e gravações caseiras, misturando batidas eletrônicas a sons regionais. O guitarrista é acompanhado no palco pelo DJ P.G. nos scratchs, e seus companheiros da Nação - Dengue no baixo e Toca Ogam na percussão. Ortinho, também nascido em Caruaru, aproxima sua veia experimentalista - nutrida em cirandas, forrós, maracatus e sambas - da cozinha pesada da percussionista e baterista Simone Soul, da sonoridade coco´n´bass e caboclinho´n´roll do baixo de Alfredo Bello, da guitarra blues de Luiz Chagas e dos sopros de Marcelo Monteiro.

RIO DE JANEIRO E BELO HORIZONTE
Na semana seguinte o festival segue para os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, com apresentações no dia 14 no Circo Voador (Rio de Janeiro) e, no dia 15, no Freegell Music (Belo Horizonte).

Em ambas noites, o cantor Ortinho abre a noite com seus convidados Junio Barreto e Daniel Belleza (e Marku Ribas e Pedro Morais em Belo Horizonte); na seqüência, a Nação Zumbi apresenta seu novo disco, Fome de Tudo, recém-lançado pela gravadora Deckdisc. A banda é dona de um show poderosíssimo, testado e reverenciado nos palcos de festivais de todo o Brasil, da Europa e EUA. O repertório, mesclado de todas as fases, se impõe pela força quase ritual da apresentação, e pelo impacto propriamente físico do som.


PROGRAMAÇÃO

SÃO PAULO
Junio Barreto e Mombojó (convidados: Fabiana Cozza e Biu do Pife)
Local: Sesc Pompéia - Choperia
Endereço: Rua Clélia, 93
Data: 07/12 - sexta-feira
Horário: 21h
Preço: R$ 28,00; R$ 7,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes). R$ 14,00 (usuário matriculado, + 60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes)


Ortinho e Maquinado (convidados: Chico César, Daniel Belleza e Vange Milliet)
Local: Sesc Pompéia - Choperia
Endereço: Rua Clélia, 93
Data: 08/12 - sábado
Horário: 21h
Preço: R$ 28,00; R$ 7,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes). R$ 14,00 (usuário matriculado, + 60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes)

RIO DE JANEIRO
14/12
Ortinho
(convidados: Junio Barreto e Daniel Belleza)
Nação Zumbi
(show de lançamento do CD Fome de Tudo)
Local: Circo Voador
Endereço: Rua dos Arcos, s/n - Lapa / 21-2533-0354

BELO HORIZONTE
15/12
Ortinho
(convidados: Junio Barreto, Daniel Belleza, Marku Ribas e Pedro Morais)
Nação Zumbi
(show de lançamento do CD Fome de Tudo)
Local: Freegells Music
Endereço: Avenida Contorno, 3239 - Santa Efigênia / 31-3461-4000

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007


Me sinto só.
Me sinto só acompanhada.
Me sinto só e preciso ficar só.

Não suporto solidão.
A solidão desiludida.
A solidão fudida.

Preciso sentar na pedra.
Ficar só e ver o sol.

Me sinto uma garota perdida em canto algum.

Vagando por ai com pensamentos longes...
Construindo sonhos.
Observando “coisas do sul”.

Pare!
Quer dizer, não pare!!!
Pare de tentar voltar.

Seguimos a diante...
Porque os dias passam e não voltam...
São parecidos e não iguais.


Mari 20/01/03

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Vai São Jorge!!!


Jamais usei esse espaço no blog para falar de futebol. Mas depois do jogo de quarta-feira, acreditei que poderia aqui desabafar esse aperto que está esmagando meu coração. Talvez alguns não saibam do meu grande amor pelo corinthians. Ridículo ou não, tenho que admitir que na noite de quarta-feira eu chorei ao ver a torcida no estádio e também ao ver aquele time em campo. Confesso que quando entrou o Vampeta, eu tive a certeza que iríamos virar o jogo. Vampeta para mim significa sorte. Ele entrou bem, deu uns passes incríveis que mais uma vez ninguém soube aproveitar. Já estávamos perdendo, faltava poucos minutos para terminar o jogo e a torcida... até me arrepia só de lembrar e meus olhos enchem de lágrima. Acredito que jamais vi algo igual... desejei muito estar no estádio. O grito da torcida era tão alto, que parecia que eles estavam no estúdio:


“Aqui tem um bando de louco!Louco por ti, Corinthians!
Aqueles que acham que é pouco...Eu vivo por ti, Corinthians!
Eu canto até ficar rouco, eu canto para te empurrar
VAMO VAMO MEU TIMÃO
VAMO MEU TIMÃO
NÃO PARA DE LUTAR "


Lembro ainda do dia que meu amigo Dani voltou do estádio no começo deste ano, olhou para mim e disse: Nina, vc não tem noção do novo grito da Fiel. E cantou baixinho para mim... olhei para ele com a certeza que esse era um dos gritos mais lindos que já tinha escutado da torcida. E na verdade acho que esse é o que tem mais a ver com nós corintianos. Talvez aqui muitos não me entendam, quase nenhum time tem essa ligação: torcida e time. A nossa torcida sempre foi e será uma atração a parte.

Sobre quarta a noite chorei por não achar justo o resultado do jogo para uma festa que a fiel fazia no estádio. Mais uma vez, ela fez a sua parte. Deu um show para fechar o ano com chave de ouro e o nosso time apenas nos resta rezar.
Vai São Jorge!!!

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Voltei...


Minhas férias voaram, assim como voei algumas vezes com alguns puxões errados que dei no kite da minha irmã num vento de 50 km por hora. O que importa é que aprendi a velejar de kite e acredito que foi o esporte mais legal que já fiz até agora na minha vida. Eu que estava apaixonada por tecido e trapézio, me encantei com o kitesurf! Além de Jeri, conheci uma praia chamada Barra Grande no Piauí. Um lugar lindíssimo ainda pouco desbravado por brasileiros. Apenas por gringos para variar. A praia ainda não tem quase nada, uma igreja, uma escola, três pousadas e uma padaria. Perfeito para quem procura ventos de 20 a 25 nos para velejar de kitesurf. No mar você encontra apenas três moleques: Piolho de 12 anos, Índio de 13 e Heton de 16. Esse último já foi capa de revista e pegou terceiro lugar no último campeonato de kitesurf que rolou no Piauí.

15 dias de férias sem ler nenhum jornal, nenhuma revista, sem ver televisão. Como isso faz bem para a mente. Escutei músicas apenas quando tinha bateria no meu ipod. O silêncio virou meu melhor amigo e o barulho constante do vento que já sinto saudade. Nesses dias, algumas pessoas se tornaram personagens nas minhas páginas do meu caderninho, como Dona Maria, a vizinha da minha irmã. Todas as tardes quando o sol teima em se pôr, ela abre o portão e sai segurando uma cadeira. Ao lado, sempre uma companhia, ou seu amigo, marido ou mesmo seu neto. A companhia normalmente também segura uma cadeira. Juntos andam quase quatro passos e posicionam suas cadeiras para a vista lateral da casa e admiram com muita conversa o sol se pôr no mar. Personagens que têm um hábito saudável e curioso. Pipoca é o apelido dela. Uma criança de quase cinco anos, nativa da praia do Preá, mais ou menos 12 km ao sul de Jericoacoara. Pipoca espera ansiosa todas as manhãs a Toyota da escola do Rancho do Kite passar em frente a sua casa. Quando escuta o barulho do motor, ela sai correndo de sua casa e corre até a frente do carro e faz um bloqueio na rua de areia pulando, pulando e pulando, depois disso, sai da frente do carro e dá tchau para os instrutores e alunos de kitesurf.

Quando você chega num determinado momento na vida em que descobre a certeza escondida dentro de você, é porque chegou a hora de abrir os braços para o mundo e sentir o vento da cidade. O vento que muda duas vezes de sentido no mesmo dia. E quando você compreende isso é porque chegamos na explicação da certeza.

Jeri um lugar difícil de se despedir...

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

FUI

Féééééérias!!! Enfim elas chegaram...
Estou voltando para lá para terminar aquilo que comecei.....


O lugar escolhido:



Enquanto isso, deixo algumas dicas de shows legais nesses dias!!! Aproveitem:


Hoje

Bruna Caram
Ao Vivo Music Groove


Bruno Morais
Berlin


10/11


Eddie
Studio SP


14/11


Forró Dá Samba
Mariana Aydar & Duani
Tom Jazz


Nando Reis e Os Infernais
Luau MTV
Credicard Hall


15/11

Izzy Gordon e Mariana Baltar
Rio de Janeiro


O Quarto Das Cinzas
Studio SP


16/11

Thalma de Freitas e Nego Moçambique
Studio SP


Bruno Morais
Berlin


21/11

Nação Zumbi
Citibank


23/11

Jorge Ben
Citibank

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

FORRÓ DÁ SAMBA NO TOM JAZZ


Samba e forró são os ritmos populares que melhor traduzem o espírito do povo brasileiro. É mergulhado nesse baú de pérolas que Duani e Mariana Aydar se deleitam e promovem a segunda edição do Forró Dá Samba, nos dias 07 e 14 de novembro, em São Paulo, no Tom Jazz. Um projeto festivo idealizado pela dupla, que vem despretensiosamente propor esse encontro e resgatar um formato muito comum entre os anos 40 e 70: os duetos.

Com o balaio cheio de samba autêntico e o suingue arrochado do forró de raiz, Duani e Mariana cantam um repertório bem exótico e repleto de lados B. De Jackson do Pandeiro a Marcelo Camelo, passando por Aldir Blanc, Bebeto, João Nogueira e composições dos próprios Duani e Mariana Aydar. "Criamos esse projeto por puro amor, de forma despretensiosa, é um projeto paralelo às nossas carreiras, pra saciar a vontade de cair no samba e a saudade de cantar muito forró", explicam.

A dupla será acompanhada por uma banda formada por forrozeiros e sambistas de primeira linha: Cabral (violão 7 cordas), Clayton (sanfona) e os percussionistas Fumaça, Fabiano e Ricardo, que integram a banda de Leci Brandão, madrinha de Mariana. A festa conta ainda com a trilha sonora do DJ Barra, que apresenta uma refinada pesquisa de sambas, forrós e música contemporânea.

Sobre Duani
Cantor, compositor, multi-instrumentista e produtor musical, Duani é um artista respeitado por grandes intérpretes e músicos de todos os gêneros. Gilberto Gil, Cássia Eller, Lenine, Alceu Valença, Seu Jorge, Zé Ramalho, Elba Ramalho, Jorge Benjor e Marcelo D2, são alguns exemplos. Carioca da gema, cresceu em meio aos bambas, e no seu aniversário de 1 ano teve a presença da ilustre Velha Guarda da Portela. Aos 10 anos já era primeiro cavaquinho e puxador da Mangueira do Amanhã, onde conheceu Alcione e foi convidado à participar de suas turnês. Não só acompanhou a cantora, como tinha um momento especial nos show, onde assumia o palco e cantava com a banda.

É o vocalista do respeitado grupo Forróçacana, uma das principais referências do movimento intitulado "forró-universitário", indicado ao Grammy Latino e vencedor do "Prêmio Tim 2006" como melhor grupo regional. Duani está em fase de pré-produção de seu primeiro disco solo com previsão para 2008.

Sobre Mariana Aydar
Dona de uma das vozes e interpretações mais marcantes e maduras do atual cenário musical, Mariana Aydar é considerada uma das principais artistas da nova geração. Em outubro de 2006, lançou o cd Kavita 1, um dos trabalhos mais elogiados pela imprensa, agora lançado na Europa e no Japão. O álbum, com produção musical de Duani e Bid, conta com as participações de Leci Brandão, Arlindo Cruz, João Donato e Chico César. O samba e o forró estão presentes de forma renovada no primeiro cd de Mariana, que iniciou sua trajetória em 2002 a frente da banda de forró Caruá.

Ao longo da carreira, cantou ao lado de artistas como Elba Ramalho, Dominguinhos, Seu Jorge, Arnaldo Antunes, Daniela Mercury, Ivan Lins, Elton Medeiros, entre outros. Atualmente tem feito shows nas principais capitais do país e já inicia uma pesquisa de repertório para o seu novo trabalho, também previsto para o ano que vem.

Local: TOM JAZZ
Endereço: Avenida Angélica nº 2331 – Higienópolis
Informações: (11) 3255-3635
www.tomjazz.com.br
Horário de abertura da casa: 20h
Horário do show: 22h
Preço (couvert artístico)
Quartas-feiras: R$ 20,00

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Vai ficar em Sampa no feriado?



Que tal ir no Berlin sexta-feira a noite?

O cantor, compositor e produtor musical Bruno Morais apresenta o novo show na festa Brasa nas sextas-feiras 2, 9 e 16 de novembro, no Berlin, em São Paulo. Amanhã ele revela um pouco do que vem por ai e da nova banda que o acompanha.


Na formação, os parceiros Guilherme Kastrup na bateria e percussão (trabalha com Arnaldo Antunes, Adriana Calcanhotto, entre outros), Guilherme Mendonça no trompete e teclados (Dona Zica, Guizado e Lucas Santana),Zé Ricardo Passeti no violão e guitarra (Galvão dos Novos Baianos, Tião Carvalho e Divina Batucada), Ricardo Prado no baixo (Vanessa da Mata e Andreia Dias) e Florência Saravia – uma das melhores engenheiras de áudio no Brasil - no pa e live mix. Essa banda o acompanha desde o show do México, em maio de 2007.


O publico tem a oportunidade de assistir o trabalho tomando forma ao vivo durante as apresentações já que os arranjos estão abertos para qualquer tipo de mudança enquanto o álbum não vai para o forno. A novidade fica por conta das novas composições e dos novos arranjos para as músicas do primeiro disco. Com um instrumental mais enxuto, porém, mais presente, nesse novo trabalho Bruno deixa de lado um pouco as bases pré-gravadas abrindo espaço para improvisos e interatividade com o público numa performance mais orgânica e intuitiva.


Vai lá conferir:
Dias: 2,9,16
Horário: 23h
Local: Berlin
Endereço: Rua Cônego Vicente Miguel Marino, 85 - Barra Funda
Ingressos: R$ 15,00; R$ 10,00 (com nome na lista cadastrando pelo site www.mandabrasa.com
Informações: (11) 33924594

Mais?
www.brunomorais.com.br
www.clubeberlin.com.br

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Geopolítica: Energia, Meio Ambiente e Tecnologia

Por Leandro Duarte Madureira

Pensando em uma escala global, parece não haver discordâncias na relação da questão ambiental com os recursos energéticos e tecnológicos em um mundo moderno que estabelece, cada vez mais, relações intrínsecas entre diferentes temas.

E é baseado nessa crença que essa nossa reflexão vai se pautar; buscando compreender um pouco mais da geopolítica do mundo atual.

O Oriente Médio é hoje a região do mundo com maior número de conflitos e pelo visto essa realidade parece não estar no fim. Recentemente, o governo Bush declarou que caso o Irã não suspender seu programa de enriquecimento de urânio poderá ocorrer a III Guerra Mundial.


Observe o mapa abaixo:

Mapa: Geopolítica do Oriente Médio

Além da localização do Oriente Médio, vemos os conflitos atuais e áreas potencialmente conflituosas.

Vale considerar que a concentração de conflitos no Golfo Pérsico e em Israel se destaca por motivos diferentes e relacionados, que não vamos explorar nesse texto.

As estatísticas mostram que o Golfo Pérsico abriga cerca de 60% do petróleo mundial e, esse dado por si só, já torna a região como sendo de grande interesse das grandes potências mundiais, principalmente do Império norte-americano.

O cartograma abaixo mostra a proximidade existente entre os pontos de ataque dos EUA na ocupação do Iraque (um dos países do Oriente Médio), os poços de petróleo, as regiões controladas por instituições norte-americanas junto com a proibição de Síria e Irã de usar seu espaço aéreo.


Fica claro aqui que a justificativa de levar a “democracia” ao Iraque cai por terra. Seria muita inocência acreditar que a maior potência mundial ocuparia uma região com tanto petróleo apenas para levar a “democracia”.

Será que o Iraque hoje vive uma realidade melhor que na época de Saddam Hussein?

O petróleo é um combustível fóssil, não renovável e que já teve o seu fim decretado inúmeras vezes... Agora se fala em um novo potencial, o Golfo da Guiné, próximo a Libéria e Nigéria, na África.
Mares territoriais dos países do Golfo da Guiné

Mesmo assim a quantidade descoberta parece não ser suficiente para gerar energia a tantas máquinas. Só esse ano a China produziu 8.000.000 de carros, se equiparando com os números de EUA e Japão. O que fica claro é que o ritmo de prospecção de petróleo não acompanha o ritmo de produção e inovação tecnológica das potências mundiais e a transição dessa matriz energética já está sendo planejada.

Bobeira é achar que ficaremos sem energia!

Engraçado que até o Brasil ganhou destaque com esse papo todo, de repente fomos reconhecidos como sendo um país com total condição de produzir Etanol a partir da cana-de-açúcar.

Em um primeiro acordo Brasil-EUA fica estabelecido que 2% do Etanol brasileiro substituiria a gasolina de ambos os países (o objetivo é chegar aos 15%).

Temos que considerar que para o objetivo ser alcançado será usado cerca de 20 milhões de hectares. Ocuparemos a Amazônia com a cana-de-acúcar para o Etanol.


Parece que com o mesmo autoritarismo que os EUA justificaram a sua ocupação no Iraque, sendo contra o Conselho de Segurança da ONU, o Brasil pode justificar a devastação da Amazônia para o plantio de cana-de-açúcar, gerando Etanol e diminuindo o Aquecimento Global. Não seria lindo?

O fato é que o Etanol não supre as necessidades mundiais em curto prazo e para superar em longo prazo a devastação ambiental seria catastrófica, em tempos de AQUECIMENTO GLOBAL.

Qual seria o combustível capaz de substituir o PETRÓLEO e dar apoio ao ETANOL em curto e longo prazo?

Parece que a resposta é o URÂNIO!


Atualmente os maiores produtores de URÂNIO são: Canadá e Austrália, mas o Cazaquistão já tem um projeto de assumir a liderança da produção de URÂNIO até 2010. (leia o link)

Esse cenário indica que: o Golfo da Guiné, a Amazônia no Brasil e o Cazaquistão assumem papéis fundamentais na corrida energética. Sai na frente o Cazaquistão, pois tem a fonte energética do futuro e com isso se torna o lugar mais observado do planeta.

Um conflito no Cazaquistão parece ser só uma questão de tempo. A maioria dos países que se localizam em suas proximidades já sofreu ataques norte-americanos e foram dominados em nome da “democracia”, como: Kuait, Iraque, Afeganistão, Paquistão. (Não esqueça das recentes ameaças do governo Bush ao Irã).

Sem dúvidas, parece que os diferentes temas hoje estão cada vez mais relacionados, criando uma rede de conexões e desafiando os diferentes sujeitos a desvendá-los.


* Leandro Duarte Madureira é formado em Geografia na Pontifícia Universidade Catolica - SP e professor do Colégio Friburgo.

Chegou a hora de São Paulo assistir o show da Lua

Ela se apresenta nos dias 06, 13 e 20 de novembro no Tom Jazz. A Lua acaba de lançar seu primeiro disco pelo selo Ôlôko Records.

No show, a cantora é acompanhada por Daniel Ganjaman (teclados, baixo e voz), Quincas Moreira (baixo, teclados e voz), Junior Boca (guitarra), Nelson Viana (bateria e voz), Eder "O" Rocha (percussão) e DJ Keffing. A direção musical é de Daniel Ganjaman.

O álbum tem participações especiais de Lenine e Bnegão e quem assina a produção do álbum que envolveu 54 músicos é Alê Siqueira. A mixagem ficou por conta do engenheiro e produtor americano Bob Power, que já produziu e mixou Erikah Badu, Macy Gray, Quincy Jones, entre outros. A masterização é de Chris Athens, do renomado estúdio Sterling Sound, em NY.


Vai lá assistir:
Data: 30/10
Local: Tom Jazz
Endereço: Av. Angélica, 2331 - Higienópolis
Preço: R$ 25,00
Informações: (11) 3255 0084 3255 3635

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

domingo, 28 de outubro de 2007

Tá afim de ver um show de reggae hoje?

Foto Murici Franzin
Então apareça no Novo Alferes para curtir o som da banda Maraca Manca. No repertório grandes clássicos do reggae como Bob Marley, Peter Tosh, Steel Pulse, e músicas de consagrados artistas brasileiros e internacionais: Almir Sater, Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Mutantes, Red Hot Chili Peppers. Vale citar um trecho da canção Tais Palavras do CD independente Pés no Chão que mostra bem o alto astral e as boas vibrações da Maraca Manca: “Transforme o seu sonho numa meta/A sua profecia se completa/ Não seja escravo da desilusão/ Porque para todo o problema, existe solução”.

A banda é formada por Gabriel “Gonzo” (guitarra e voz), End Morais (bateria e vocais), Anderson Café (percussão e vocais), Yves Remont (guitarra), Fares Saba (baixo e vocais) e João Leão (teclados).


Serviço
Data: 28/10
Horário:18h
Local:Novo Alferes Bar
Endereço:R. Afleres Magalhães, 73
Homem: R$ 5,00
Mulher: Vip até as 21h; após R$ 3,00

Mais?
www.maracamanca.com.br

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Vc sonhou hoje?

Sim e mais uma vez sonhei com aqueles sonhos que se repetem em lugares nunca visitados na vida real, mas que são conhecidos diante de tantos sonhos vividos alí...

Me lembro ainda daquele dia,
Em que fechei os olhos
E da tranqüilidade eu pedia.

Daquele sonho que vi você sonhar,
Sonhar no meu próprio sonho,
No sonho que me perdi sonhando.

Se você estiver nele ainda,
Não abra os olhos,
Apenas abra a janela.

Então avise todo mundo daí,
Que eu vôo por aqui.

E não esquece de avisar,
Que morro de saudade,
Mas preferi a minha felicidade.


Trecho da Poesia Estou Aqui - Mari 10/05/01

O mundo de um sonho acabado

Acordaram-me do meu sonho.
Do sonho que vivia sonhando.
Sonhando o meu sonho de sonhar.

Acordaram-me do meu sonho...
E diante do pesadelo eu vou andando,
Para eu nunca mais sonhar,
Sonhar o sonho que já não existe mais.

Com meus olhos abertos diante desse mundo.
Um mundo sem sonhos que eu não consigo crer,
Crer na pobreza das pessoas vividas nesse mundo,
Um mundo com sono sem sonhos.

Mais uma vez, a porta se fechou.
Fechou no momento em que entrava.
Entrou apenas o meu sonho,
O sonho de eu sempre viver sonhando.

Acordaram-me do sonho.
E dessa vez o sonho não era só meu,
Era meu apenas o sono,
O sono inacabável diante do sonho meu.

Um mundo cansado.
Aberto para realidade,
Que o torna pesado
Por esquecer que o sonho é uma verdade.



Mari 24/05/01

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Mais uma peça de teatro:

Meu Pé de Laranja Lima



DIREÇÃO: MARÍLIA MIYAZAWA E TATIANA REHDER

ELENCO: ALINE VIANA, CAMILA ARELARO, LEDA MARIA E MAIRUN SEVÁTRILHA

SONORA: DOUGLAS FROEMMING.


Serviço
Datas: 27 e 28 de outubro 03 e 04 de novembro
Local: Cine Teatro Alphaville
Endereço: Calçada Flor de Lotus, 78 - Centro Comercial Alphaville
Horários: 17h 19h
Preço: R$ 20,00
R$ 10,00 meia entrada
Informações: 41914844

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Pode anotar ai na agenda:


Dia 21 de novembro Nação Zumbi apresenta o novo CD Fome de Tudo no Citibank.

Serviço
Data: 21/11
Local: Citibank
Endereço: Al. dos Jamaris, 213 - Moema
Horário: 22h30
Preço: R$ 35,00 Pista
R$ 80,00 Camarote
Classificação etária: 14 e 15 anos acompanhado dos pais ou responsável legal
Informações:
http://www.citibankhall.com.br

Bruno Morais apresenta novo show no projeto UltraSOM em São Paulo

Foto: Brian Plus

Enquanto finaliza o segundo álbum, o cantor, compositor e produtor musical Bruno Morais apresenta o novo show no dia 24, no Projeto UltraSOM, em São Paulo e revela um pouco do que vem por ai e da nova banda que o acompanha. Na formação, os parceiros Guilherme Kastrup na bateria e percussão (trabalha com Arnaldo Antunes, Adriana Calcanhotto, entre outros), Guilherme Mendonça no trompete e teclados (Dona Zica, Guizado e Lucas Santana),Zé Ricardo Passeti no violão e guitarra (Galvão dos Novos Baianos, Tião Carvalho e Divina Batucada), Ricardo Prado no baixo (Vanessa da Mata e Andreia Dias) e Florência Saravia – uma das melhores engenheiras de áudio no Brasil - no pa e live mix. Essa banda o acompanha desde o show do México, em maio de 2007.

O publico tem a oportunidade de assistir o trabalho tomando forma ao vivo durante as apresentações já que os arranjos estão abertos para qualquer tipo de mudança enquanto o álbum não vai para o forno. A novidade fica por conta das novas composições e dos novos arranjos para as músicas do primeiro disco. Com um instrumental mais enxuto, porém, mais presente, nesse novo trabalho Bruno deixa de lado um pouco as bases pré-gravadas abrindo espaço para improvisos e interatividade com o público numa performance mais orgânica e intuitiva.

Bruno prepara seu segundo álbum com participações dos quatro cantos do mundo. Um pouco distante do universo eletrônico do primeiro disco e com previsão de lançamento para março de 2008, Bruno finaliza o CD com tranqüilidade. "Eu começei a fazer o disco em dezembro de 2005, como estou fazendo o álbum com calma, tive a oportunidade de ir desenvolvendo varias parcerias que foram surgindo após o lançamento de Volume Zero. As primeiras idéias e parceiros surgiram quando eu estava em Seattle e dei continuidade trabalhando virtualmente com parceiros do mundo todo", explica o artista.


Bruno Morais tem 28 anos e foi um dos representantes brasileiros para o respeitadíssimo laboratório de criação e/ou congresso mundial de musica e tecnologia Red Bull Music Academy, em Seattle. No mesmo evento, Bruno se destacou por ser um dos únicos participantes com álbum lançado, assim como pela personalidade impressa no disco. Ainda em Seattle, gravou parceria com o consagrado produtor e compositor Leon Ware (Marvin Gaye, Ike and Tina, Quince Jones e Marcos Valle, entre outros) e ainda com Vitamin D (Dela Soul, Blackalicious, Gift of Gab, etc), Toby Lang (Fat Freddy's Drop) e XXXChange (promissor produtor de Nova York), entre vários outros.

Serviço:
Dia: 24/10 – quarta-feira
Horário: 21h
Local: Teatro X
Endereço: Rua Rui Barbosa 399, Bela Vista
Ingressos: R$ 10,00
Informações: (11) 3283-2780


Não aceita cartões de crédito ou débito



quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Solas de Vento

Quarta-feira é dia de Solas de Vento no Sesc Ipiranga! O primeiro espetáculo de Bruno Rudolf e Ricardo Rodrigues, realizado com as parcerias e orientações de Adriana Grechi, Alex Marinho, Erica Stoppel e Luciana Bueno.

A Iluminação é de Douglas Valiense, Trilha Sonora original de Marcelo Lujan e Direção de Rodrigo Matheus.
SERVIÇO:
Data: quartas-feiras
Temporada até 21 de Novembro
Local: Sesc Ipiranga
Endereço: Rua Bom Pastor, 822 - Ipiranga
Horário: 21h
Informações: 33402000

terça-feira, 16 de outubro de 2007

NAÇÃO ZUMBIIIIIIIIII

Quer saber das novidades do disco Fome de Tudo da Nação Zumbi?

Leia uma entrevista com Jorge du Peixe e escute a música Bossa Nostra no Pop Up de Bruno Nogueira da Folha de Pernambuco.

Assista esse vídeo “teaser” que a Deckdisc liberou com cenas da gravação do novo disco da Nação Zumbi.




http://www.fomedetudo.com/

Tá afim de ler um livro???

Tá aí a dica de três!!! Está na ordem que eu li.

Se vc acha que conhece Cássia Eller, é melhor dar uma lida!! O livro é muito bom, conta a história de Cássia desde quando nasceu.

Apenas uma Garotinha - A História de Cássia Eller
Autores: Eduardo Belo e Ana Cláudia Landi
Editora:Planeta
Preço Médio: 35,00

A Cidade do Sol é incrível. Na mesma pegada que Caçador de Pipas. Não dá vontade de parar de ler. Conta história de duas mulheres Mariam e Laila que vivem no Afeganistão.

Autor: Khaled Hosseini
Editora: Nova Fronteira
Preço Médio:39,90
Menina que Roubava Livros ainda estou no começo e estou apaixonada pela história e pela narrativa distinta. Confesso que toda noite, enquanto minha mãe dorme, vou até a salinha de leitura e roubo o livro.

Autor: Markus Zusak
Editora: Intrinseca Editora
Preço Médio:39,90

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Música Livre ?

Vc já tem algo para quinta ou sexta-feira a noite? Que tal ir no Música Livre no Sesc Pompéia???

O projeto: É um ambiente para a produção e difusão da Cultura Livre. Um projeto que tem como idéia central à colaboração; discutir um sistema para criar, produzir e distribuir música de maneira livre, sem intermediários e refletir sobre as modificações do mercado musical. Música Livre, não é pirataria! É anti-pirataria.


Quinta-feira, dia 18
Mundo Livre S/A + Fábio Trummer da Banda Eddie

O show o Mundo Livre S/A conta com a colaboração de Fábio Trummer, seu parceiro desde o início da Mangue Beat. Apresenta músicas de seu mais recente álbum “Bêbado do Groove Vol 1” e as clássicas do repertório da banda com destaques para Samba Esquema Noise, Meu esquema e a inédita em CD Cho Seung-hui Song.

Data: 18/10 quinta-feira
Horário: 21h
Preço:R$ 20,00; R$ 10,00 (usuário matriculado). R$ 5,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes).


Sexta-feira, dia 19
Bnegão e os Seletores de Frequência + De Leve

Bnegão e sua banda Os Seletores de Frequência convidam o rapper De Leve para um show colaborativo numa parceria que já dá certo no Rio de Janeiro.

Data: 19/10 - sexta-feira
Horário: 21h
Preço: R$ 20,00; R$ 10,00 (usuário matriculado). R$ 5,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes).

Sexta-feira, dia 19
Totonho e Os Cabra + Duo Fabuloso

De volta a tecnofarra dos mestiços, com colaboração do Duo Fabuloso, Totonho e Os Cabra, versão Sabotador de Satélite. A banda cósmico-paraibana, do século passado, traz suas máquinas e feitiços a São Paulo. Depois de Paris, Londres, Moscou, é a vez de roer as cordas da Lira Paulistana. Com Léo Monteiro (bateria e pancadas eletrônicas), Benjão (guitarra e violas), Totonho (voz, violão e viola), Flu (baixo), William Jr. (casa de máquinas e processadores).

Data: 19/10 - sexta-feira
Horário: 21h
Preço: R$ 20,00; R$ 10,00 (usuário matriculado). R$ 5,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes).

E para encerrar:
Totonho e os Cabra + Duo Fabuloso e B.Negão + De leve

Data: 19/10 - sexta-feira
Horário: 21h
Preço: R$ 20,00; R$ 10,00 (usuário matriculado). R$ 5,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes).
Não é permitida a entrada de menores de 18 anos.

domingo, 14 de outubro de 2007

Esperando...


- o novo CD da Nação Zumbi

- completar o download do CD Mi Niña Lola de Concha Buika

- o show no Tom Jazz Forró Dá Samba com Mariana Aydar e Duani

- Cultura Profetica, Sergent Garcia e Asian Dub Foundation fazerem show em São Paulo

- Fechar a casa do ano novo

- A minha crise de alergia (nesse feriado) passar

- Minhas férias

- O último show Luau MTV Nando Reis e Os Infernais em São Paulo

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Pernambucano Ortinho faz duas apresentações em São Paulo

Depois de um exílio criativo e de atuar no filme Árido Movie, de Lírio Ferreira, o pernambucano Ortinho sobe ao palco do Sesc Vila Mariana no dia 19 e do Sesc Pinheiros no dia 20 para mostrar músicas do CD Somos. Esse é o segundo trabalho solo do músico que começou sua carreira à frente da banda Querosene Jacaré.

O disco tem 11 faixas e é produzido por Ortinho e Alfredo Bello que também faz parte da banda. E por falar em banda, o grupo mostra um entrosamento surpreendente firmado em São Paulo e que também acompanha seu conterrâneo e parceiro Junio Barreto. Dudu Tsuda nos teclados, Gustavo Ruiz na guitarra e no violão, Marcelo Monteiro no saxofone e na flauta, além do casal drum’n’bass Simone Soul e Alfredo Bello (responsável pela co-produção e por cavaquinho, moog, baixo e teclados). Os guitarristas Tonho Penhasco, Luiz Chagas, os baixistas Mazinho Lima e Paulo LePetit, o pandeirista Mestre Nico, os multiinstrumentistas Sergio Cassiano e Max de Castro, fora a incrível Orquestra Popular da Bomba do Hemetério, nos metais, completam a banda de Ortinho.


Parceiro de Chico Science, Otto, Lula Côrtes, Junio Barreto e Arnaldo Antunes, Ortinho mesclou sua veia roqueira do experimentalismo com a tradição de sua terra natal. Dessa mistura saíram composições de côco, ciranda, forró, além de, claro, maracatu e samba. O resultado foi o elogiado álbum Ilha do destino (2002). Acrescente ao caldo um pouco do nosso cancioneiro clássico, outro tanto de maracatu atômico; adicione, em partes iguais, pop, rock e funk dos 70, tempere com poesia surrealista e pronto – a invenção está à mesa. Sirva-se de SOMOS!

Serviço

Local: Sesc Vila Mariana
Endereço: Rua Pelotas, 141
Data: 19 de outubro - sexta-feira
Horário: 20h30
Ingressos: R$ 12,00; R$ 6,00 (usuário matriculado, idosos e estudantes com carteirinha). R$ 3,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes).
Informações: 11 5080-3000

Local: Sesc Pinheiros
Endereço: Paes Leme, 195
Data: 20/10 - sábado
Horário: 20h
Preço: R$ 12,00
R$ 6,00 (usuário matriculado)
R$ 3,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes, aposentados e estudantes com carteirinha).
Informações:11 3095-9400


quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Início

É a mesma sensação do primeiro post que publiquei nesse blog. O nome era Start. Falava de um recomeço, da saudade e da convivência dos amigos. Amigos-irmãos seria a melhor definição. Pois, é um amor fraterno. Franciscano para ser mais direta. A saudade dessa convivência que já foi diária de segunda à segunda.

Ontem pude sentir isso novamente. Um belo dia para o início de uma nova etapa. 25 anos, no qual 19 vivi ao lado de pessoas incríveis que tornam os dias mais prazerosos. E mais uma vez, não pude pedir, só agradecer. Confesso que diante da caminhada no parque pedi duas coisas: a primeira para o sol aparecer e a segunda para o Corinthians ganhar. O sol apareceu logo que voltei para casa e o timão me deixou com o coração na boca...

Num dia que quase não se programou nada, que passaria como dias normais, marcou. O sentimento foi tão intenso e agradável que só posso agradecer dos amigos-irmãos que estavam ao meu lado e óbvio, daqueles amigos-irmãos que estavam longe e perto ao mesmo tempo.

Obrigada por tornar a minha vida mais cheia de graça.

Amo vocês!

PS: Oba! Hoje tem mais.

Saudade Esquecida

Eu tinha saudade.
Eu tinha saudade
E não sabia.

Era isso o que me consumia.
Eu simplesmente não sabia
O que me faltava era tão pouco.
Bastava apenas estar do lado,
Dizer algumas coisas,
Escutar algumas outras
E sorrir do jeito que só nós sorrimos.

Eu tinha saudade.
Isso eu deveria saber.
Que era só a saudade,
Só a saudade que me faltava.

Só a saudade que me traz um bem,
A saudade que quero viver quase todos os dias.
A saudade que queria que muita gente conhecesse
E ao mesmo tempo, ninguém...
Basta nós!
Basta nós
Nós que tínhamos saudade,
Saudade esquecida,
Saudade enriquecida.

Eu tenho saudade
E gosto de té-la.
Agora eu sei,
Sei que não me falta,
Mas me falta de vez em quando.


Mari 09/06/02

terça-feira, 2 de outubro de 2007

Zé Cafofinho faz duas apresentações em São Paulo

Depois do boom de novas bandas que surgiram com o Manguebeat nos anos 90, Zé Cafofinho surge sintetizando jazz, ritmos latinos e nordestinos numa mistura suingada. O artista pernambucano sobe ao palco no dia 18 no Sesc Vila Mariana e dia 19 no Sesc Pinheiros para mostrar canções do seu primeiro álbum solo independente Zé Cafofinho - um pé na meia, outro de fora. Tiago já participou à frente da banda Songo em 1997 e atualmente integra em alguns projetos paralelos como a Variant (releitura de ska), e Versos, viralejos e quebranguladas, do tocador de realejo Gaspar Andrade.

O disco tem 13 músicas, a maioria com letras e melodias do próprio Zé Cafofinho. O álbum dispensa rotulações, e reflete a própria trajetória do músico: tem um pouquinho de cada fase, sem ser necessariamente nenhuma delas. Vai do balanço do samba de gafieira ao "jazz de churrascaria"; da releitura de ska ao sambinha de mesa de bar. Tudo isso incrementado pelo som melódico da viola de arco e do bandolim. O resultado dessa mistura é que dá identidade ao disco, nas letras que remetem à boemia, à malandragem e à cachaça; nas canções relacionadas ao amor, à lembrança e às paisagens do morro da periferia recifense. O CD traz parcerias com músicos pernambucanos como Bactéria (Mundo Livre e Variant), China (Del Rey), João Carlos (Orquestra Sinfônica do Recife), Hugo Gila (Variant e Orquestra Contemporânea de Olinda) e integrantes da Mombojó (Chiquinho e Marcelo Machado), com quem Zé Cafofinho trabalha faz tempo. Há ainda participações de nomes como Pupilo (Nação Zumbi), que assina mixagem e bateria de algumas músicas, e Berna Vieira (ex-Eddie), responsável pela gravação e mixagem de várias faixas do disco.


Completam o time os músicos que acompanham o artista no palco: Cláudio Negão (sete cordas e baixo), que já tocou com nomes como Elza Soares, Seu Jorge e Antônio Carlos Nóbrega; Felipe Gomes (banjo e cavaco), que já dividiu o palco com a sambista Tereza Cristina e a pianista Ana Fridman; e Márcio Oliveira (trompete), da Orquestra Popular do Recife, do maestro Ademir Araújo. O trio foi responsável também por ajudar a conceber os arranjos do disco. O grupo conta ainda com Márcio Silva (bateria) e Gustavo Joe (sintetizador).


SERVIÇO
Local: Sesc Vila Mariana
Endereço: Rua Pelotas 141
Data: 19/10 - quinta-feira
Horário: 20h30
Preço: R$ 12,00
R$ 6,00 (usuário matriculado)
R$ 3,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes, aposentados e estudantes com carteirinha).
Informações:11 5080-3000

Local: Sesc Pinheiros
Endereço: Paes Leme, 195
Data: 19/10 - sexta-feira
Horário: 20h
Preço: R$ 12,00
R$ 6,00 (usuário matriculado)
R$ 3,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes, aposentados e estudantes com carteirinha).
Informações:11 3095-9400


quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Cansei de Ser Sexy participa do novo CD do Beastie Boys


Beastie Boys vai lançar mais um CD. Na verdade o álbum será uma versão com vocal de The Mix-UP - lançado esse ano - totalmente instrumental. A grande notícia desse disco são as participações especiais: Cansei de Ser Sexy, Jarvis Cocker, M.I.A. e Lily Allen.


O grupo paulistano Cansei de Ser Sexy está com tudo. O trio deixou os brasileiros escolherem a faixa do disco que queriam participar antes de todos os outros artistas convidados.

Mais? http://www.beastieboys.com/


http://www.csshurts.com/

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Errata
Mi Ninã Lola é o segundo álbum da carreira da Concha Buika e não o terceiro como escrevi no post da semana passada.

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Turbo Trio no Studio SP


Nessa sexta-feira, dia 28, o Turbo Trio volta a Sao Paulo para se apresentar no Studio SP na Vila Madalena. O trio e formado por BNegao, Tejo e Alexandre Basa e promete ainda esse ano o primeiro CD intitulado Baile Bass que tambem tem lancamento previsto para o Japao.


Servico

Local: Studio SP

Endereco: Rua Inacio Pereira da Rocha

Horario: 23h

Preco: R$ 25,00; R$ 15,00 lista

lista: studiosp@studiosp.org




Proximos shows:

dia 20/10 - Rio de Janeiro - RJ

dia 14/11 - Belo Horizonte - MG


segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Izzy Gordon se apresenta com Leo Maia no Projeto Circuito Original

O público paulistano poderá conferir semanalmente pocket shows com grandes ícones da nova geração da MPB, em 10 bares espalhados pela cidade. A idéia é do Projeto Circuito Original. A cantora Izzy Gordon sobe ao palco do Bar Leporace, nessa terça-feira, dia 25, para mostrar canções de seu último trabalho Aos Mestres com Carinho, Uma Homenagem a Dolores Duran. O projeto promete reunir diferentes estilos e vertentes da música, passando pelo samba rock, jazz, chorinho, bossa nova e rap.

Izzy canta jazz, bossa, soul e mpb com muito charme. Acompanhada por Moisés Alves (teclado), Leandro Matsumoto (baixo) e Junior Vargas (bateria) recebe a participação especial de Leo Maia, filho do lendário Tim Maia. Nesse ano o projeto tem, além dos shows, exposições com fotos, objetos e capas de discos. Nesse dia, Izzy levará algumas peças de Dolores.

Filha de Dave Gordon, a cantora cresceu convivendo em sua casa com nomes como Jair Rodrigues, Tim Maia, César Camargo Mariano, Rita Lee, Wilson Simonal, Cassiano e Marisa Gata Manso. Izzy já foi backing para Deep Purple (Via Funchal com Orquestra Jazz Sinfônica), fez shows com Banda Black Rio, Max de Castro, Gerson King Combo, Zizi Possi, Fernanda Porto e Ed Motta. Depois de receber elogios de Quincy Jones (que já produziu a jazzista Sarah Vaughan e o Michael Jackson) e de toda produção do U2, incluindo o Bono Vox, a cantora fez dois shows exclusivos para a Banda U2 no Grand Hyatt São Paulo no ano passado.


SERVIÇO

Bar Leporace
Rua Edson , 1362 - Campo Belo
Informações: 11 5044-0948
Entrada: Franca
Horário: 21h
Idade Mínima: 18
Faixa Etária: de 25 a 30

mais?
www.myspace.com/izzygordon

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Rápidas

O novo CD da Nação Zumbi já tem nome: Fome de Tudo.
Esse é o primeiro disco do grupo lançado pela deckdisc. A produção fica por conta de Mario Caldato e tem participações de Junio Barreto e Céu.

Lançamento? Mês que vem!! Oba!

Ai, essa sim é uma diva: http://www.myspace.com/Buika


Filha de pais africanos, nasceu em Maiorca na Espanha. Influenciada pelo flamenco e jazz, Concha Buika lança seu terceiro disco Mi Niña Lola.

O novo clipe Conceição de Zé Cafofinho e Suas Correntes:




No mês de outubro eles voltam para Sampa e se apresentam no Sesc dias 18 e 19!!!!

Mais? http://www.myspace.com/zecafofinho

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

O quarto planeta era do homem de negócios. Estava tão ocupado que não levantou sequer a cabeça à chegada do príncipe.
- Bom dia, disse-lhe este. O seu cigarro está apagado!
- Três e dois são cinco. Cinco e sete, doze. Doze e três, quinze. Bom dia. Quinze e sete, vinte e dois. Vinte e dois e seis, vinte e oito. Não há tempo para acender de novo. Vinte e seis e cinco, trinta e um. Uf! São pois quinhentos e um milhões, seiscentos e vinte e dois mil, setecentos e trinta e um.
- Quinhetos milhões de quê?
- Hein? Ainda estás aqui? Quinhentos e um milhões de... eu não sei mais... Tenho tanto trabalho. Sou um sujeito sério, não me preocupo com milharias! Dois e cinco, sete...
- Quinhetos milhões de quê? repetiu o principezinho, que nunca na sua vida renunciara a uma pergunta, uma vez que a tivesse feito.
O homem de negócios levantou a cabeça:
- Há ciquenta e quatro anos que habito nesse planeta e só fui incomodado três vezes. A primeira vez foi há vinte e dois anos, por um besouro caído não sei de onde. Fazia um barulho terrível, e cometi quatro erros na soma. A segunda foi há onze anos, por uma crise de reumatismo. Falta de exercício. Não tenho tempo para passeio. Sou um sujeito sério. A terceira... é esta! Eu dizia, portanto, quinhentos e um milhões...
- Milhões de quê???
O homem de negócios compreender que não havia esperança de paz:
- Milhões dessas coisinhas que se vêem às vezes no céu.
- Moscas?
- Não, não. Essas coisinhas que brilham.
- Abelhas?
- Também não. Essas coisinhas douradas que fazem sonhar os ociosos. Eu cá sou um sujeito sério. Não tenho tempo para divagações.
- Ah! estrelas?
- Isso mesmo! Estrelas.
- E que fazes tu de quinhentos milhões de estrelas?
- Quinhentos e um milhões, seiscentos e vinte e duas mil, setecentos e trinta e uma. Eu sou um sujeito sério. Gosto de exatidão.
- E o que fazes tu dessas estrelas?
- Que faço delas?
- Sim.
- Nada. Eu as possuo.
- Tu possuis as estrelas?
- Sim
- Mas eu já vi um rei que...
- Os reis não possuem. Eles reinam sobre. É muito diferente.
- E de que te serve possuir as estrelas?
- Serve-me para ser rico.
- E para que te serve ser rico?
- Para comprar outras estrelas, se alguém achar.
Esse ai, disse o principezinho para si mesmo, raciciona um pouco como o bebado.
No entanto, fez ainda algumas perguntas.
- Como pode a gente possuir as estrelas?
- De quem são as estrelas? respondeu, ameaçador, o homem de negócios.
- Eu não sei. De ninguém.
- Logo são minhas, porque pensei primeiro.
- Basta isso?
- Sem dúvida. Quando achas um diamante que não é de ninguém, ele é teu. Quando achas uma ilha que não é de ninguém, ela é tua. Quando tens uma idéia primeiro, tua fazes registrar: ela é tua. E quanto a mim, eu possuo as estrelas, pois ninguém antes de mim teve a idéia de as possuir.
- Isso é verdade, disse o principezinho. E que fazes tu com elas?
- Eu as administro. Eu as conto e reconto, disse o homem de negócios. ´E difícil. Mas sou um homém sério!
O principezinho ainda não estava satisfeito.
- Eu, se possuo um lenço, posso colocá-lo em torno do pescoço e levá-lo comigo. Se possuo uma flor, posso colher a flor e levá-la comigo. Mas tu não podes colher as estrelas.
- Não. Mas eu posso colocá-las no banco.
- Que quer dizer isto?
- Isso quer dizer que eu escrevo num papelzinho o número das minhas estrelas. Depois tranco o papel à chave numa gaveta.
- Só isso?
- E basta...
É divertido, pensou o principezinho. É bastante poético. Mas não é muito sério.
O principezinho tinha, sobre as coisas sérias, idéias muito diversas dasd idéias das pessoas grandes.
- Eu, disse ele ainda, possuo uma flor que rego todos os dias. Possuo três vulcões que revolvo toda semana. Porque revolvo também o que está extinto. A gente nunca sabe. É útil para os meus vulcões, é útil para a minha flor que eu os possua. Mas tu não és útil às estrelas...
O homem de negócios abriu a boca, mas não achou nada a responder, e o principezinho se foi...
As pessoas grandes são mesmo extraordinárias, repetia simplesmente no percurso da viagem.
* Trecho do livro: O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint-Exupéry

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

DeSaBaFo

Há quem goste, ame, jura que é paixão. Talvez eu gostaria com toda a sinceridade de ter esses sentimentos pela cidade de São Paulo. Mas confesso que não tenho. E antes que alguém venha me mandar ou pedir para eu sair daqui, logo aviso: vamos com calma, ou melhor, vamos por partes. Primeiro: analisar as coisas boas daqui que ninguém esquece: as melhores baladas, os melhores restaurantes, as melhores lojas, a vida noturna que funciona 24 horas, lindos museus, ótimos cinemas, grandes teatros, além das super megas produções tanto de shows internacionais, como musicais e exposições. Para quem ama cultura como eu, se realiza numa cidade assim que te oferece de tudo a qualquer hora. Mas temos que reconhecer, que para fazer tudo isso há de ser um pouco rico, diríamos assim. Siiiiiim temos muitas coisas de graça, quem quer economizar consegue assistir bons shows na faixa, mas alguns.
Segundo: analisar os pontos negativos: São Paulo tem fila pra tudo e você perde horas e horas. Porque aqui, a hora é sagrada e por ser sagrada, voa. Ninguém tem tempo para ver seus amigos, primos ou mesmo familiares. Vai empurrando tudo para o final de semana, depois não entende porque quando chega o sábado e o domingo passa tão depressa. As vezes vc pega o carro anda 8 km e demora 1 hora e 40 minutos. Depois de passar o trânsito tenta achar uma explicação, um caminhão batido, um buraco, uma blitz, um ônibus quebrado ou a CET tentando organizar que na verdade só atrapalha e não encontra nada, então você se dá conta que tem carro demais nessa cidade. Que ao invés de investirem forte em metrô, vc escuta a nova obra genial: 6 estacionamentos subterrâneos para o paulista parar o carro. Meu Deus! Que mestre o cara que pensou nisso e aqueles que aprovaram. Fora que nada é perto, não existe nenhum incentivo para vc caminhar pelas ruas e quando caminha é quase atropelado pelo carros, porque pedestres não tem vez mesmo nas faixas e quando há faixas!! A cidade é lotada de semáforos; quando cai uma carreta na Marginal Tietê, a cidade literalmente pára! E quando chove ? Ah, quando chove a cidade alaga, as pessoas perdem tudo de suas casas, o congestionamento vira um absurdo e o aeroporto de congonhas pára. Ou seja, o caos.
Como aguém pode ser feliz aqui???? Me falem, me avisem, pq procuro isso todos os dias.

Para respirar um bom ar

Hoje deixei a cultura pra lá. Escolhi falar da nossa cidade que conta com uma frota registrada de aproximadamente 7,3 milhões de veículos. E que todo dia chega às ruas 870 carros novos!!! A poluição em São Paulo cresce mais que a economia: 5% ao ano! O diesel é o grande poluidor e logo depois vem os carros a álcool.



Além da poluição, a cidade sofre com variações de temperatura de até 12 graus medidas no mesmo horário em pontos diferentes da cidade. Mais prédios e menos natureza!!!




São Paulo vai longe e eu tenho já a certeza que não estarei aqui para conferir!!

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Nando Reis se apresenta no Bem Brasil neste sábado

Acompanhado da banda Os Infernais, Nando Reis apresenta o show Luau MTV no programa Bem Brasil, da TV Cultura. O programa foi gravado em agosto no Sesc Pompéia e vai ao ar no sábado, dia 15 de setembro, às 17h30.

Luau funciona mais ou menos assim: amigos reunidos, violão e um punhado de hits. Para Nando Reis, o projeto Luau MTV tem um gostinho especial, já que foi ensaiado na sua casa de praia, em Ubatuba, São Paulo, e gravado na Praia Vermelha, também no Litoral Norte.


Nando Reis e a banda Os Infernais, formada por Carlos Pontual (violão), Felipe Cambraia (baixo), Alex Veley (teclados) e Diogo Gameiro (bateria) ainda contam com a participação da percussionista infernal e ancestral Lan Lan e das backings vocals Juju Gomes e Micheline Cardoso. No repertório, músicas do último álbum Sim e Não: Sou Dela, N, Espatódea e Monóico, além de sucessos que o cantor e compositor coleciona nesses anos: A Letra A, Relicário, Por Onde Andei, entre outros. Ainda há a inédita Tentei Fugir, e Negra Livre que fez para a cantora Negra Li. O CD e DVD Luau MTV – Nando Reis, gravado em janeiro deste ano, foi lançado em maio, pela gravadora Universal Music.

Com o carisma e a energia do artista, o show é sempre uma celebração. "Juntar um bando ao redor de umas canoas espalhadas na areia só fica bom quando se tem música que a gente sabe de cor pra poder sair cantando", explica o cantor.

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Gravado num banco qualquer

Eu sentei naquele banco esperando você.
E você sabia até o jeito que eu iria sentar.
Talvez porque somos parecidos.
Eu completamente distante de você.

Eu sentei naquele banco esperando um pequeno desentendimento.
E você sabia exatamente o que eu queria ouvir.
Apesar de nunca ter escutado algo tão extraordinário.
Você completamente distante de mim.

Eis o meu choque.
Eis o seu “spot”.

Não nos conhecíamos.
Jamais nos tínhamos vistos.
E eu aceitei o convite.
Sentei naquele banco para te escutar.

Na verdade aceitei o convite por curiosidade.

E quando você começou a sussurrar em meus ouvidos, me calei.
Você estava tão perto de mim, mesmo sabendo que não estava lá.
Era apenas a sua voz,
Era apenas a sua mensagem deixada naquele banco.... para mim....
Para você, para ele, para nós, para todos.
Para todos pararem.

Atitude.
Ousadia.
Para todos pararem.

Sentarei lá de novo.
Escutarei outra vez.
Só para te “rebobinar”.
Só para te admirar.


Mari 21/08/03

segunda-feira, 10 de setembro de 2007