quarta-feira, 18 de julho de 2007

Permaneceremos sentados

Assim foi a nossa história
Apenas lembrada na nossa memória.
E o que podemos fazer
Se não temos nada a dizer?

Às vezes eu penso que
Sou consumida por essa droga.
Mas ela borbulha a minha
Cabeça de idéias.
Aquece meu coração de inspiração
Baseadas naquelas loucuras
Constantemente loucas.

Parece que sou notada
De um jeito forte e marcante.
Mas o tempo passa
E a minha imagem é
Queimada na velocidade
Destes segundos que
Tornam-se dias.

Então eu pergunto: Por quê?
E vos respondes: Por que o que?

E nesses ques diante de eternos por quês
Permanecemos sentados
Na escada olhando
As mesmas coisas de antes.

Olhamos um para o outro
E vemos esses olhos que
Juram que mudarão o mundo.

Esses olhos que derramam sonhos.


Mari 10/05/02

Um comentário:

Fe disse...

Apesar de já conhecer, acho que não lembrava.. Fiquei meio confusa no meio e depois achei que era atual, novinha! E aí pensei... a Mari voltou a escrever poesia?!?!

Enfim, adorei! De novo :o)

Bjocas,