quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Estou borbulhando interrogações

Foi-se o tempo de sorrir,
Foi-se o tempo de chorar,
Foi-se o tempo de cantar.

Hoje me manifesto em formas de versos...

Versos que sorriem por mim,
Que derramam minha lágrimas,
E que cantam as rimas inexistentes desse poema.

Cadê? Cadê você?
Onde foi se esconder?

Foi-se o tempo de esquecer!

Foi-se o tempo...
Passou como qualquer tempo,
Marcou como só esse tempo,
O tempo que levará tempo
Para cicatrizar o que
Nenhum tempo foi.

Mari 26/11/01

2 comentários:

Fe disse...

maricota! mais uma vez, adorei! mto talentosa a senhorita :o)

Anônimo disse...

sou compositor da musica samba meu
la no meu flog tem link pra escutar a musica
grande abs
rodrigo bittencourt
www.flogao.com.br/rodrigobittencourt