quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Uma cidade romântica, louca e cheia de regras






Amsterdam nos recebeu com um frioooo e um tempo nublado. Assim que deixamos nossas malas no albergue e pegamos um mapa em direção a lugar nenhum, o sol apareceu e transformou a cidade naquelas cenas de filme de outono. Pensei que encontraria pessoas enlouquecidas numa cidade organizada. E me deparei com o oposto. Os holandeses são super arrumados e a cidade um pouco louca demais. O bondinho passa ali do seu lado e se você não prestar atenção nas bicicletas, você certamente será atropelado. Depois vem os carros. Talvez ali depois o pedestre tem vez. Mas mesmo assim não tem problema, porque logo você se depara com os canais. E eles te dão mais um motivo para você sorrir. Uma temperatura de 11 graus acompanhado de um vento gelado com um sol que aquecia, íamos andando por ai. Esse era o objetivo. Ir por ai na cidade doida, observando a vida deles, conhecendo os picos e ouvindo as informações que as pessoas davam, um pouco vazias às vezes, mas davam. Depois de rodarmos pelo centro, resolvemos no dia seguinte aproveitar o sol. Passamos o dia jogados em dois lugares no Vondelpark – um dos parques mais lindos que já vi na minha vida e no Museumplein. À noite jantamos ao lado de um canal vendo as pessoas fazendo baladas distintas em barquinhos. Passei dois dias tentando pensar em muita coisa, mas tava difícil pensar e de falar. Um passeio pelas vitrines das putas quase todas de óculos de grau querendo passar um ar de intelectualidade. Amsterdam é uma cidade romântica, liberal e acompanhada de muitas regras. A minha boina cru decidiu ficar por alí nas ruas dos canais. Uma trip de dois dias repleta de ataques de risos e de uma completa evolução. E mais uma vez, eu só posso agradecer.

Um comentário:

Gi disse...

lindossssssssss! como queria estar aí também!!! saudades dos três!!!! beijos amores!!!